Fernando Pessoa, o tio e a Poeta

 “No fim da estrada há uma encruzilhada tremenda.
O passado é um caleidoscópio de interrogações,
o presente, o restrito momento de um pensamento,
o futuro, uma nódoa onde o sangue se transmuda
se volatiliza e sobe ao céu em frágil renda.
Todo o axioma entrou em coma.
A lei agora é escapar, sobreviver.
O casamento deu-se, sem boda.
Faz-se amor como se clica o computador,
só tem fascínio o proibido.
O plantel actua no estádio vibrante, 
a banda electriza de gestos e metais. 
Esquecem-se os mortos da estrada 
das guerras, epidemias, fomes. 
Abre-se meia porta ao emigrante 
que rasteja pela fresta errada. 
Já não há encruzilhada nenhuma 
nem pensamento a considerar 
nem sentimento de culpa a arder 
nem projecto a aquecer 
nem raiva a crescer em amor. 
Há sim a pressa de viver 
num mundo que se dissolve em bruma.”

“Manuela Nogueira é escritora e poetisa. É também sobrinha de Fernando Pessoa. Nasceu na Rua Coelho da Rocha, onde está instalada hoje a Casa Fernando Pessoa e conviveu intimamente com o poeta até à data da sua morte. Na sua memória de infância guarda a imagem de um tio gentil, alegre e brincalhão. Só muito mais tarde se apercebeu de que se tratava também de um dos maiores poetas portugueses.

A vida é como é. Mas Manuela Nogueira às vezes dá por si a pensar como é que teria sido a sua vida se o destino não lhe tivesse dado um tio chamado Fernando Pessoa. “Tinha sido uma vida muito diferente. Nem melhor, nem pior, diferente”. Se calhar não teria arriscado lançar o seu primeiro livro de poesia só agora, no Outono da vida. “A comparação era sempre inevitável, mas agora não me preocupo tanto com isso. É uma das coisas boas da idade”, diz a sorrir. É que Manuela Nogueira é escritora e poetiza. O seu livro, “Ritual sem palco” foi lançado há pouco mais de três meses. Quem o leu gostou mas Manuela Nogueira tem pena que a crítica pura e simplesmente o tenha ignorado. “Como não sou do meio, não pertenço a nenhuma capelinha…”
Fala sem rancor mas com a certeza de que o mundo editorial português vive dias muito confusos. Mesmo assim não desiste. Os livros e a leitura são a sua paixão. Colaborou em jornais, escreveu obras infantis e livros para adultos, participou num sem fim de encontros, palestras e sessões de promoção e incentivo à leitura em escolas, autarquias e bibliotecas. Como fundadora da Associação Fernando Pessoa correu o País e o mundo convidada a falar do lado mais íntimo do poeta. “Posso dizer que o facto de ser sobrinha de Fernando Pessoa me proporcionou uma vida muito rica, pois conheci e convivi com gente maravilhosa de toda a parte do mundo”. (source)

E esta senhora, poeta sobrinha de poetas vai juntar-se a nós num mundo virtual para falar sobre aquilo que todos querem ouvir: como foi viver com um dos melhores poetas de sempre da literatura portuguesa. Vai ser no próximo sábado, dia 7 de Fevereiro, às 15h, na ilha Babel Project II, here. Quem preferir pode sempre ouvi-la pessoalmente, na Biblioteca de S. Domingos de Rana, em Cascais, no mesmo dia, à mesma hora. E como não podia deixar de ser…seja na vida real ou virtual, estamos todos convidados.

Manuela Nogueira, poet

Manuela Nogueira, poet

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: