Carta de Amor II

Todas as cartas de amor já foram escritas,
Reescritas, rascunhadas, pensadas, inventadas
E também lidas, relidas, esfolheadas e desfolhadas,
Arrancadas, amachucadas, recomeçadas, esquecidas.

Todos os sentimentos já foram expressos
Vividos, repetidos, repentinos, ensaiados,
Buscados e rebuscados, sentidos, partidos
E chorados, amargurados, arrependidos

Todas as emoções já foram faladas
Falhadas, amadas, ditas e malditas
Todas as emoções já transpiraram, já voaram, já gemeram
Já doeram, já se perderam…

Todas menos as nossas
Porque as nossas são únicas
Porque ninguém sentiu antes de nós e ninguém sentirá depois
Porque as nossas não cabem em palavras

Posted in SL. 8 Comments »

8 Responses to “Carta de Amor II”

  1. Blue(Angel) Says:

    O Amor quando verdadeiro e sentido é de facto único.
    Todos os amores são o primeiro amor, porque nunca sentimos da mesma maneira. Têm é de ser verdadeiramente sentidos e vividos. Não valem palavras vãs e soltas sem significado. Está lindo, mana.🙂

  2. Leo Says:

    LINDOOOOOOOOOOOOOOOOO

  3. Lu Says:

    A minha mummy também é poeta😀 LINDAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

  4. Sonya Says:

    Está, de facto, linda mummy!

  5. ElectroescadaS Says:

    Não fazia ideia que a Barmaid tinha veia de poetisa…😎

    Os meus parabéns…:mrgreen:

  6. Fokas Says:

    Woooooohooooo….Grande poema!

  7. Elora Says:

    Não tenho veia de poeta… foi uma que me foi transplantada num bypass que me fizeram ao cérebro.

  8. mermaid Says:

    el, gostei imenso!


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: