Uma viagem ao Tempo dos Descobrimentos

 

 

 

Há mais de 500 anos os portugueses iniciaram uma aventura pelo planeta para descobrir novos mundos. Hoje em dia, os exploradores pegaram na sua imaginação e passaram de aventuras na realidade para a virtualidade.

Para assinalar o Dia de Camões, Portugal e das Comunidades, é inaugurada no Second Life, no próximo dia 1 de Junho, uma exposição dedicada à grande aventura dos Portugueses: os Descobrimentos.

Fotos, factos históricos e músicas da época são salientados na exposição, assim como o convite para que todos partam, à semelhança dos portugueses, para a aventura, partindo e explorando locais e ilhas recriadas, algumas baseadas no mundo real, outras no imaginário de quem as constrói in world.

Esta exposição, que substitui a anterior a exposição sobre o 25 de Abril, inaugura no dia 1 de Junho, na SL TRAVEL GUIDE & GALLERY. Este evento enquadra-se nas comemorações do dia de Portugal no Second Life e coincide com a comemoração de aniversário da Ilha de Portucalis.

Dez anos depois da inauguração da EXPO’98, exposição internacional cuja realização em Lisboa surgiu no âmbito da Comissão para a Comemoração dos Descobrimentos Portugueses, Portucalis integra duas iniciativas que se complementam: a Mostra Filatélica dedicada aos mares, comemorativa dos 10 anos passados sobre a Expo’98 e uma exposição que leva o viajante e explorador a mais uma viagem no tempo e no espaço… de volta aos Descobrimentos Portugueses.

5 Responses to “Uma viagem ao Tempo dos Descobrimentos”

  1. Fokas Says:

    Afro,

    Já descobrimos tanta coisa…
    Será que somos capazes de nos descobrir um dia?

  2. Afro Says:

    ANTES DE TUDO O RESTO….YESSSSSSSSSSSSSSSSSS!!!! Finalmente percebi que raio de cena que tinha de checkar no wordpress para voltar a ter o meu Visual Editor e não tar a tentar adivinhar ou alterar código html… ufa que estava dificil😉

    Fokas… descobrimos tanta coisa que às vezes esquecemos. Por isso que esta viagem ao tempo dos Descobrimentos seja também o mote para nos voltarmos a (re)descobrir a nós próprios.

    Na verdade, apesar de não para já, está previsto fazer novamente “encontros” por esse SL fora, cada dia com um tema dedicado para a conversa. Para tal, convido desde já não só todos os amigos e inimigos😉 a participar.

    E apelo sobretudo a que nos contactassem todos aqueles que se sintam minimamente relacionados com um dos países “tocados” pelas mãos dos portugueses (e aí incluo Madeira e Açores, Marrocos, Cabo Verde, Guiné, Angola, Moçambique, Índia/Goa, Timor, China/Macau, Japão e Brasil).
    Podem ser de lá, ter nascido, viver lá, ter vivido, conhecer familiares,a amigos, ser interessado pela cultura, ou simplesmente querer falar etc etc etc… Para retomarmos as nossas “Conversas no Tempo e no Espaço” ao interior de todos e de cada um.

  3. Eduardo Henriques Says:

    É sempre bom que ainda se vá falando dos descobrimentos e do Portugal português. Embora este pais já não tenha sangue a nação. E algum povo que resta, não é ao nacional, mas sim, aos salários das famílias políticas.
    Se gostar de ver trabalhos relacionados com os descobrimentos e o mar, navegue no blog: http://arteaportugal.blogs.sapo.pt. ou http://muitopioresqueosfilipes.blogspot.pt
    Arte e poesia cantada e feita a Portugal
    Com os meus melhores cumprimentos
    Eduardo

    A FORÇA É DIVINA

    Em ondas brancas e mareantes.
    Que no longínquo se formam ondulantes
    A convidar os navegantes.
    Zarpam os lusitanos argonautas.
    Ao som de melodiosas flautas.
    No azul do Céu, os anjos.
    E todos os arcanjos.
    Vigiam as caravelas
    Com a Cruz de Cristo em suas velas.
    E mais alto, no azul das Divindades.
    As Celestiais Santidades.
    Abençoam o Luso empreendimento.
    De dar do mundo cabal conhecimento.
    Homens, velas e os elementos.
    Quantos tormentos.
    Cerúleo de azul calmaria.
    Ó Virgem Maria.
    Sopra à vela alguma ventania.
    Que a bom rumo seja capitania.
    Céu de argênteo tenebroso.
    Mar alteroso.
    Mas no topo da mastreação
    Que irá alargar a Lusa Nação.
    Formas Divinas continuam em aclamação.
    Ajudando e apoiando a Lusa navegação.
    Assim, as Lusas caravelas sulcam os mares.
    Na construção de dar ao mundo melhores altares.

    Eduardo Dinis Henriques

  4. Afro Says:

    Obrigado pela partilha Eduardo… adorei os trabalhos que mostra… 🙂


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: