Long distance love (TM, R, etc)*

Mmm… estou com os dedos inquietos hoje. Quando dei por mim, já tinha escrito em três dos quatro blogs em que participo. E fiquei a olhar, mais uma vez para este. Em que tão pouco participo. Em que sou muito mais comentadora (e fraca) do que propriamente autora, estatuto que mantenho apenas porque a Afro como todos sabemos é uma Deusa altamente compreensiva.

Hoje lá me decidi. Ainda por cima porque me apetece mesmo muito abordar o tema das relações à distância – de que nós, país de emigrantes tanta experiência temos, né ? Em princípio, todas as relações que estabelecemos em SL, são desse tipo. Aqui, do que me interessa falar é das relações amorosas que lá nascem. Que por vezes transbordam para RL, mas nem sempre, se calhar até raramente. Sabiam que os americanos fizeram um estudo (sim, eles fazem estudos a propósito de tudo e de nada) em que concluem que as relações virtuais amorosas têm uma duração média de 3 meses ? Claro que há excepções. Recordo-me de ter lido num blog algures (não me peçam o nome, foi na cheia das brancas de memória que me atingem) a história de um gajo que manteve durante quatro anos uma relação estritamente virtual com uma gaja que nunca tinha visto – desde o irc, atravessando vários ambientes e jogos online. E de repente, a gaja desapareceu sem dizer nadinha. Nós os leitores, claro, ficámos todos sem saber o fim da história.

Contudo, conhecemos a maior parte dos fins das outras histórias. Se já é dificil gerir uma relação RL dita normal, em que as pessoas partilham cama e mesa e se vêm todos os dias… quanto mais dificil será gerir uma em que nunca (ou quase nunca, vá lá) se está com a pessoa de quem gostamos e nos ocupa os pensamentos durante o dia ? Cada um de nós acaba por ter também uma vida própria, com compromissos de todo o género e imprevistos. O que acontece à outra pessoa quando de repente fica sem notícias de um dia para o outro ? O que acontece … se algo nos acontece e não conseguimos avisar ?

E o que acontece quando não se tem ali ao lado, à frente dos olhos, a pessoa de que se precisa, para partilhar momentos bons ou maus ? O que acontece quando às primeiras linhas ou às primeiras trocas de frases se percebe que a outra pessoa não está bem… ou está distante, ou whatever ?

Como é que se partilha assim uma vida… à distância ? Tendo e não tendo, sendo e não sendo. Acompanhados e sozinhos ao mesmo tempo, o tempo todo…

PS – sim, eu sei, muitas relações daquelas em que as pessoas vivem juntas RL também são relações assim, de tão distantes que as pessoas se encontram. Por vezes muito mais virtuais que estas de que falo. Mas essas, ficam também para outro post😛

*título de uma música do orange… eu pago-te os direitos de autor, ok ?

Posted in SL. 5 Comments »

5 Responses to “Long distance love (TM, R, etc)*”

  1. Elora Says:

    Não falarei, não falarei, não falarei. O Universo é um sádico e pode parar de insistir que eu sou mais teimosa. Não vou comentar as relações SL! Ou pelo menos até ao dia em que escreva um livro sobre o assunto.

  2. ElectroescadaS Says:

    É melhor não porque depois dos teus últimos pedidos de não casamentos por esse chat fora (tagus) começo a pensar que afugentaste a malta toda…:mrgreen:

  3. Blue(Angel) Says:

    Summerzinha,

    tiraste-me as palavra dos dedos. Assim de repente, vi os meus pensamentos na tua cabeça e a fluirem dos teus dedos. Bolas!!! E mais não digo sobre relações RL/SL ou só uma delas. Mana, escrevemoso o livro em parceria?🙂

  4. Aggio Says:

    Posso comentar as ralações SL?


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: