Quem vê caras…

Para início de conversa há que estabelecer a importância do aspecto físico dos avatares. A premissa de que o físico não interessa, o importante é a pessoa por detrás é verdadeira mas, tal como todas as verdades, não é absoluta. Se, por um lado, num mundo em que todos somos lindos o aspecto humano sai realçado, por outro o facto de todos sermos bonitos torna óbvia a importância dada por cada um ao aspecto do avatar. E todos nos preocupamos com esse aspecto, tal como se pode comprovar verificando quão rapidamente se perde o “Ar de Newbie”.

Estabelecida a importância do aspecto físico, passemos à paisagem do balcão do meu bar. Para quem não conhece, Laguna é um local aprazível e arejado junto ao mar. Do meu balcão vejo quase todo o Club, bem como o dito mar. Vejo muito mais se exercer todo o poder que tenho sobre o controlo da câmara, mas a verdade é que em poucos dias a novidade se esgota. E esta é outra das razões que me levam a convidar pessoas a dançar em cima do meu balcão. Se é verdade que prefiro avatares masculinos (como expliquei no post Sexo atrás do balcão), a necessidade de variar a paisagem leva-me a aceitar também avatares femininos, especialmente se forem portadores de longas pernas, característica que não possuo, mas da qual sou apreciadora.

Ora o facto de quase todos os avatares femininos serem possuidores de intermináveis pernas leva ao uso quase compulsivo de saias, muitas vezes em fabulosas versões mini, que se remexem e flutuam enquanto o avatar que as enverga dança descontraidamente em cima do meu balcão. Apesar de não estar geralmente entre as minhas preferências, sou apreciadora da beleza humana em qualquer dos géneros (não, não convido furrys a dançarem) e apraz-me contemplar as ditas saias e percorrer com o olhar a imensidão das pernas, começando nos sapatos e prosseguindo perna acima até me perder no Infinito. E, deixem que vos diga, Infinito é a palavra correcta, uma vez que, numa grande número de casos, as meninas tendem a não se preocupar com aquilo que não é visível. Não que eu esteja propositadamente à procura do Infinito, mas quando este se encontra em cima do balcão a revirar-se é quase impossível desviar o olhar.

Podemos dizer que são apenas bonecos e portanto não é importante, mas já discutimos acima a relevância do aspecto físico e há livros eróticos repletos de bonecos e que são inclusivamente mais vendáveis do que os que contêm fotografias. Os japoneses têm cultos inteiros à volta disto, mas há que abreviar que o post já vai longo.

Como tudo em SL a roupa interior tem a importância que cada um lhe dá. Assim, não entendam este post como um apelo à roupa interior que, aliás, é peça de vestuário que uso apenas para saltar de pára-quedas. Vejam-no sim como uma chamada de atenção para um aspecto de SL em que normalmente não pensam, mas com o qual uma Bartender é confrontada diariamente.

Quanto aos avatares masculinos, aguardem um post sobre a influência indiscutível e incontornável do Kilt na Civilização Ocidental e a importância do respeito das tradições nos Valores Humanos e consequente Salvação da Humanidade. Voem baixinho e teleportem-se com cuidado.

Posted in SL. Tags: . 2 Comments »

2 Responses to “Quem vê caras…”

  1. Margarita Says:

    Um dia destes vou dançar para cima do teu balcão, mas só por causa das coisas vou de calças! Não me apanhas de mini-saia, não apanhas não.

  2. ElectroescadaS Says:

    Cá pra mim…


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: